O soneto que eu fiz pra ela

Ele passou em casa! Sim, passou,

Porque têm marcas das pegadas dele,

Porque ninguém apaga a luz como ele,

Porque diz que não volta, mas voltou.

Ele passou aqui, posso sentir!

A forma da nuca no travesseiro…

Em que olho o seu dormir faceiro…

Ele dormiu ali, posso mentir!

Ele trouxe como ele uma vitrola,

Vai de novo tocar meu coração,

E, na faixa que toca toda hora,

Vai me dizer que fez uma canção

Que diz: o amor que a gente enrola

Só vale mesmo a pena no refrão.

Anúncios
Explore posts in the same categories: sonetos

Tags: ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

2 Comentários em “O soneto que eu fiz pra ela”


  1. como beber do copo da sede do passado que cai gota a gota molhando a toalha e fazendo bruuuuuuuuuuuum num cachoeirinha que corre corretamente, sai tudo depois no xixi

  2. Fabio R. Says:

    “são altas horas,e refrão que ele bola…não mais carece de tesão”

    Bom, coelho vc está com o “feeling” cada vez mais certeiro.O que se pode dizer além disso é só enrolação.

    abço


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: